domingo, 13 de setembro de 2009

Você vai sentir falta.

Há coisas que você só consegue entender, sentir e principalmente olhar com olhos realmente sinceros depois que você já passou por essa etapa da vida... Quando você tem uns 10 anos você não consegue pensar em outra coisa a não ser brincar e pular o dia inteiro, muitas coisas acabam passando despercebidas e você nem se dá conta. Isso dura um certo tempo talvez ate uns 13/14 anos, daí entra a idade considerada “aborescente”, cria um estilo próprio, ouve só um tipo de música, ler, só se for gibi, escrever nem em sonho, anda igual a seus amigos e é aqui que começa os pedidos de tatuagens e pircing e coitada da sua mãe se ela por um acaso resolve questionar. Tem uma coisa que minha mãe sempre dizia quando eu pedia algo novo e inusitado ISSO É FASE, DEPOIS PASSA, e para mim nunca passava, (tanto é que hoje eu tenho um pircing na língua que já dura 5 anos, um no nariz 4 anos, nos dois tragos +- 3 anos, alargadores de 6mm nas orelhas e 2 tatuagens. Resumindo quando não é pra passar não passa. As notas da escola são terríveis, pois é quando você começa a mata aula pra fica na rua debaixo do colégio tomando coca-cola e falando abobrinhas, ou então ir ao shopping “andar a toa”. É nessa fase também que você descobre se faz parte da turma dos “populares ou excluídos” se for dos ‘excluídos’ vai querer comprar tudo o que esta na moda mesmo que você não goste, só pra fala que tem e quem sabe talvez fazer parte dos populares. Começa a discussão com professores, e as ligações pra casa por causa de briga ou coisa do tipo. Sua mãe começa a perguntar o que esta acontecendo com você e te colocando de castigo, coisa que você não ficava desde os seus 12 anos. Começa também a desilusão amorosa, você tem a primeira ‘briga’ com seu melhor amigo por causa de uma garota que na maioria das vezes nem significa tanto assim pra você, mas tem que mostra a ele que certas coisas nunca se faz. Alguns com 15/16 (ou mais ou menos) começam a sair ‘sozinhos’ e provam algum tipo de droga (tem certas coisas que não se tem necessidade de se experimentar), começam a beber, e já não dão tanta importância assim ao amor.

Toma o primeiro porre e isso é assunto pra semana inteira.

Daí depois de uma época turbulenta na vida começam-se os planos para o futuro, as indecisões e decepções. Você começa a prestar mais atenção nas coisas ao seu redor, no mundo em que vive e nas pessoas que conhece e passam por você, começa a curtir a vida de um jeito aparentemente saudável, respeita mais os seus pais e tem um pouco mais de responsabilidade. Já não faz parte só de um grupo de amigos, não ouve só um tipo de musica, e seu estilo é mais variável que tudo na vida (pelo menos o meu é). Começa a ler mais e ter interesse em coisas realmente importantes. Tem namoros duradouros, mas que ainda te magoam (isso nunca muda!).

Estuda em dobro, pois tem que terminar o colegial e passar no vestibular.

Faz cursinho pré-vestibular e só conhece gente ‘doida’, e com eles você se senta e começa a lembrar brincadeiras de infância e fazer planos de um dia junta toda a galera e voltar a ser criança.

Você começa a observar as crianças da sua rua brincando com brincadeiras que você brincava quando tinha a idade deles e se pega sorrindo lembrando de coisas que fazia e dizia quando tinha a idade deles.

É nessa hora que você lembra das discussões e crises de ciúmes com o seu irmão mais velho que podia sair sozinho e dirigir sem carteira, e você falava que não via a hora de ter 18 anos. E sempre que você falava isso vinha sua mãe novamente com as suas frases: QUANDO VOCE CHEGAR AOS 18 VAI QUERER VOLTAR NO TEMPO. E novamente não acreditamos.

E hoje eu estou com 19 anos e já estou sentindo uma saudade gigante dos dias em que eu era apenas uma criança sem responsabilidades e decisões.